Boas Vindas !

Se procurar bem você acaba achando
Não a explicação (duvidosa) da vida.
Mas a poesia (inexplicável) da vida.


Carlos Drummond de Andrade.



Quem sou eu

Minha foto
Rio Claro, SP, Brazil
TEREZA CRISTINA BATTISTON,brasileira, psicóloga graduada pela Puc de Campinas em 1974, CRP-06/2050. Gosto de música e poesia, amo Saude Mental. Este sentir é o que apresento aos que procuram encontrar-se emocional, afetiva e psicológicamente. Sou psicoterapeuta de adolescentes e familiares, adultos e casais.

Buscar no Blog

26/04/2011

QUANDO A COMIDA VIRA UM PROBLEMÃO ! !

Houve um tempo, no qual os pais de filhos adolescentes podiam dormir com mais tranquilidade, sem a menor duvida. Atualmente o que se ouve e se vê, não lhes deixa muita margem para que quando os filhos se ausentam, possam ficar descansados. E no entanto, apesar dos muitos problemas fora de cada casa, é dentro dos lares que podem se instalar, sorrateiramente, doenças que são graves; bem mais graves do que se pode supor em primeiro relance. Estou falando de anorexia e bulimia.

Acredito que a maioria dos pais, já ouviu falar dessa "mania de magreza"(sic) que pode de repente, surgir na própria filha. A anorexia não é algo novo. Tem muito tempo de existencia, e não chegou aos nossos dias unica e exclusivamente, por exemplo das "top models" que ostentam mais ossos que carne e músculos, enquanto desfilam.E nem se trata de algo apenas estético, ou de mero modismo. Pode existir muito de auto-estima arranhada, propiciando sentimentos de menos valia, que fazem da adolescente imatura, um campo propício para idéias destruidoras.Mas o que existe de real em tudo isso? Anorexia é uma doença séria, e pode matar.

Se de início, a adolescente ( mais comum que sejam meninas, mas pode ser "o" adolescente) tem a impressão de estar destoando do grupo na escola, e se acha muito gorda, associa essas duas idéias, mesmo que erradas, e começa geralmente com determinação, a tomar providências para não ser "gorda" (mesmo não sendo) e nem ridicularizada. Come bem menos, cada vez menos. Aos poucos essa dieta absurda dá resultados, e ela persevera; atenção senhores pais, a internet está repleta de sites, que ensinam truques para enganar os pais; para que pensem que as filhas estão comendo.Existe uma verdadeira rede de mútuo auxílio na net, umas dando forças para as outras, incentivando, além de cada uma desenvolver seus próprios métodos, para que os pais imaginem nos primeiros momentos, que ela está se alimentando; uma das táticas, é fazer as refeições longe da família. Infelizmente hoje isso não é tão dificil, pelo ritmo de vida que as pessoas levam. Mas se as refeições são em conjunto, a comida pode ser cuidadosamente partida em pedaços pequenos, bem pequenos, espalhados pelo prato, dando a falsa impressão de quantidade.Cada partícula de gordura do bife, por exemplo, é retirada, por ser um veneno calórico. Se no começo a adolescente rejeita alimentação normal e saudável, por sua vontade, chega a hora em que não consegue mesmo, ingerir muita coisa, passando a comer água e biscoitos, por exemplo.Se for obrigada a sair desse "no food"(jejum que é auto-imposto) e comer, em seguida tentará colocar tudo para fora, vomitar. E tem ainda o amplo uso de diuréticos e laxantes. Seu organismo rejeita qualquer outra quantidade de alimento. Sua menstruação começa a falhar, porque o funcionamento de suas glândulas ficou deficitário, pode haver queda de cabelos e pelos, de seu corpo. A pele perde o brilho, é comum que ocorram desmaios. Se acaso isso tudo estiver parecendo familiar , é porque a anorexia ( que as adolescentes anoréxicas chamam afetuosamente de "ana") e/ou a bulimia ("mia", para as íntimas) anda rondando, ou se instalou em sua familia. Então, será preciso correr. Em muitos casos é necessária a internação da adolescente, mas depois é que terá início o verdadeiro trabalho de reabilitação; volta à vida saudável e real.

Este é um assunto muito extenso, mas o que deve ficar bem claro, é o perigo que as adolescentes correm, quando se tornam vítimas de anorexia ou bulimia. Elas não acreditam que estejam doentes, mas que escolheram "um estilo de vida" diferente, que as deixa felizes.O tratamento desses transtornos alimentares, solicita sempre a a interação de vários profissionais: médico, psicólogo e nutricionista. A técnica mais utilizada para esses transtornos (e outros) é a TCC, Tecnica Cognitiva Comportamental, que foca mais diretamente o problema, mesmo levando em consideração todo o histórico de vida da cliente; aos pais, cabe ficar em alerta, como foi dito existe muito para se dizer, sobre transtornos alimentares, mas para fechar diagnóstico, alguns dos sinais foram citados, como intuito de servirem de alerta e orientação para os familiares.

Não apresentando a menor intenção de ser alarmista, os dados aqui são fornecidos, porque trata-se de algo realmente grave, e na dúvida sobre existir ou não o problema, o indicado é procurar sem demora, ajuda profissional.



Nenhum comentário: