Boas Vindas !

Se procurar bem você acaba achando
Não a explicação (duvidosa) da vida.
Mas a poesia (inexplicável) da vida.


Carlos Drummond de Andrade.



Quem sou eu

Minha foto
Rio Claro, SP, Brazil
TEREZA CRISTINA BATTISTON,brasileira, psicóloga graduada pela Puc de Campinas em 1974, CRP-06/2050. Gosto de música e poesia, amo Saude Mental. Este sentir é o que apresento aos que procuram encontrar-se emocional, afetiva e psicológicamente. Sou psicoterapeuta de adolescentes e familiares, adultos e casais.

Buscar no Blog

30/12/2010

AS DROGAS NA FAMÍLIA.




É desnecessário tornar a dizer, da exposição das nossas crianças e adolescentes às drogas. Muitos programas anti-drogas incluem palestras dadas nas escolas. E aí, pode ocorrer uma controvérsia: o que os orientadores palestrantes falam, podem entrar em choque com aquilo que os jovens ouvintes presenciam em suas casas.Absurdo? Vamos pensar a respeito um momento.

Uma adolescente é avisada de que os pais pretendem ter uma conversa séria com ela, sobre assuntos importantes e variados. Avisam que o enfoque será básicamente cuidados com drogas, em festinhas e baladas que ela começa a frequentar, e cuidados com vida sexual , que pode até já ter sido iniciada. Os pais entram em seu quarto cada um com seu cigarro aceso entre os dedos, e os maços acompanham. A garota percebe o cheiro de bebida, uma vez que o pai tomou seu whisky para " relaxar" antes da conversa, para ele um tanto constrangedora.

Entre outras coisas , num momento ela percebe confusa que, ao mesmo tempo que os pais alertam para que não prove maconha, não aceite bebida de estranhos , êles proprios fazem uso de drogas lícitas, em sua casa. Isso é um fato inegável. O uso do cigarro já foi amplamente discutido e agora felizmente os fumantes passivos estão sendo protegidos por leis. Mas o álcool, que pode ser uma armadilha fatal, está em práticamente todas as casas. Existem pais que permitem que os filhos provem um pouco de sua cerveja. Misturam água e açúcar com vinho, e oferecem essa "sangria" para os filhos como se fosse um refrigerante; mas isso tem álcool.E o alcoolismo é uma doença. Sabe-se hoje por dados da OMS que é doença hereditária; doença progressiva ,que não tem cura e mata.Não importa a classe sócio-econômica de quem está bebendo: tanto faz um caríssimo whisky ou cachaça da mais barata. Dados muito sérios. Não vamos confundir alcoólatras com pessoas que bebem " socialmente" ; e entre alcoólatras, existem bêbados e aqueles que permanecem sóbrios , ou por não tomarem o primeiro gole ( AAA) ou por não terem atingido o estágio da doença que conduz à degradação, quebra de valores, perda de família e emprego,ausência dos sentimentos de auto-estima.

Em resumo pais precisam lembrar-se o tempo todo de que, sobre marcas das pegadas que eles deixam no seu dia a dia, equilibram-se as pequenas pegadas de seus filhos. O exemplo vale mais que mil conversas. Nenhum bate-papo vai ensinar um filho como ter caráter; isso aprende-se vendo os exemplos do pai e mãe corretos; íntegros.Assim é com todas as coisas que educam o ser humano. Ninguém nasce sabendo senão alguns comportamentos instintivos. O resto é aprendido, dia a dia, a partir do nascimento.



Tereza Cristina Battiston  - em 30 de Dezembro de 2010.










Nenhum comentário: